Covid-19 (Coronavírus)

Portal de Informações da Prefeitura de Mangaratiba

PERGUNTAS FREQUENTES

Informações Gerais

A COVID-19 é uma doença causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, que apresenta um quadro clínico que varia de infecções assintomáticas a quadros respiratórios graves. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a maioria dos pacientes com COVID-19 (cerca de 80%) podem ser assintomáticos e cerca de 20% dos casos podem requerer atendimento hospitalar por apresentarem dificuldade respiratória e desses casos aproximadamente 5% podem necessitar de suporte para o tratamento de insuficiência respiratória (suporte ventilatório).

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).

Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Por gotículas respiratórias expelidas por espirro ou tosse; contato direto com secreções (catarro, coriza), contato próximo (até 2 metros de distância) com alguém com sintomas ou com objetos ou superfícies contaminadas.

Sintomas e Diagnóstico

Os sintomas da COVID-19 podem variar de um simples resfriado até uma pneumonia severa. Sendo os sintomas mais comuns:

  • Tosse
  • Febre 
  • Coriza 
  • Dor de garganta
  • Dificuldade para respirar

O diagnóstico da COVID-19 é realizado primeiramente pelo profissional de saúde que deve avaliar a presença de critérios clínicos:

  • Pessoa com quadro respiratório agudo, caracterizado por sensação febril ou febre, que pode ou não estar presente na hora da consulta (podendo ser relatada ao profissional de saúde), acompanhada de tosse OU dor de garganta OU coriza OU dificuldade respiratória, o que é chamado de Síndrome Gripal.
  • Pessoa com desconforto respiratório/dificuldade para respirar OU pressão persistente no tórax OU saturação de oxigênio menor do que 95% em ar ambiente OU coloração azulada dos lábios ou rosto, o que é chamado de Síndrome Respiratória Aguda Grave

Caso o paciente apresente os sintomas, o profissional de saúde poderá solicitar exame laboratoriais:

  • De biologia molecular (RT-PCR em tempo real) que diagnostica tanto a COVID-19, a Influenza ou a presença de Vírus Sincicial Respiratório (VSR).
  • Imunológico (teste rápido) que detecta, ou não, a presença de anticorpos em amostras coletadas somente após o sétimo dia de início dos sintomas.

O diagnóstico da COVID-19 também pode ser realizado a partir de critérios como: histórico de contato próximo ou domiciliar, nos últimos 7 dias antes do aparecimento dos sintomas, com caso confirmado laboratorialmente para COVID-19 e para o qual não foi possível realizar a investigação laboratorial específica, também observados pelo profissional durante a consulta.

Esta avaliação será feita apenas por um profissional de saúde, mesmo que você se enquadre nas condições que definem um caso suspeito. Caso não se enquadre, não se preocupe.

Como se proteger

As recomendações de prevenção à COVID-19 são as seguintes:

  • Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%.
  • Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com o braço, e não com as mãos.
  • Evite tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Ao tocar, lave sempre as mãos como já indicado.
  • Mantenha uma distância mínima de cerca de 2 metros de qualquer pessoa tossindo ou espirrando.
  • Evite abraços, beijos e apertos de mãos. Adote um comportamento amigável sem contato físico, mas sempre com um sorriso no rosto.
  • Higienize com frequência o celular e os brinquedos das crianças.
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, toalhas, pratos e copos.
  • Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados.
  • Evite circulação desnecessária nas ruas, estádios, teatros, shoppings, shows, cinemas e igrejas. Se puder, fique em casa.
  • Se estiver doente, evite contato físico com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos, e fique em casa até melhorar.
  • Durma bem e tenha uma alimentação saudável.
  • Utilize máscaras caseiras ou artesanais feitas de tecido em situações de saída de sua residência. 

Se eu ficar doente

Se apresentar febre persistente por mais de dois dias, falta de ar ou dificuldade respiratória, procure uma unidade de Atenção Primária (clínica da família ou centro municipal de saúde) ou unidade de pronto atendimento para avaliação.

Para o primeiro atendimento, a pessoa deve procurar unidades de Atenção Primária (clínicas da família ou centros municipais de saúde), UPA, CER ou hospital de urgência e emergência mais próximo de sua casa.

IMPORTANTE: Hospitais de referência para internação dos casos graves, como o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, são unidades com leitos de retaguarda e sem pronto-atendimento, ou seja, não é para pessoas procurarem direto essas unidades. Para lá serão encaminhados, via Sistema Integrado de Regulação (Sisreg), os pacientes atendidos na rede de pronto-atendimento e que necessitarem.

A Secretaria Municipal de Saúde criou um Plano de Contingência alinhado com o Ministério da Saúde e a Secretaria Estadual de Saúde com os protocolos para atendimento dos casos e preparação da rede. Entre as principais medidas estão a reserva de leitos para casos confirmados que precisem de internação, e o treinamento de todos os profissionais dos hospitais, clínicas da família, UPAs e centros municipais de saúde para o atendimento de casos do Covid-19.

Toda a rede municipal de Atenção Primária (clínicas da família e centros municipais de saúde) e de pronto atendimento está apta ao primeiro atendimento e há seis unidades para referência em internação, num total de 150 leitos reservados para esses pacientes. O número poderá ser aumentado, conforme necessidade. Lembrando que, para o primeiro atendimento, as pessoas devem procurar as unidades de Atenção Primária ou pronto atendimento.

Procedimentos Hospitalares

Você receberá uma máscara e será conduzido a uma área isolada dos outras pessoas para avaliação clínica, histórico de viagens e de contatos com possíveis casos da doença. Se necessário, será coletada secreção respiratória para análise em laboratório.

A unidade de saúde coleta secreção do nariz ou da garganta do paciente suspeito e envia para exame em laboratório de referência do Ministério da Saúde, o único habilitado para o diagnóstico definitivo.

A internação só é recomendada para quem apresentar sinais e sintomas de infecção respiratória grave. Esta avaliação, no entanto, cabe exclusivamente ao médico.

Se não houver recomendação de internação, você será liberado e receberá as instruções para permanecer em isolamento domiciliar, enquanto aguarda o resultado da análise laboratorial.

Vai depender do quadro clínico. Só em caso de agravamento dos sintomas e por decisão médica é que poderá haver internação. A melhor opção é ficar em isolamento domiciliar.

Você precisa ficar em casa por um período de 14 dias após o aparecimento dos sintomas. Não poderá ir ao trabalho, escola ou sair para qualquer outra atividade. Neste período, não poderá ter contato com o resto da família e deve permanecer sozinho em um ambiente separado e com boa ventilação. Ao tossir ou espirrar, deve sempre tapar a boca ou nariz com um lenço de papel ou cotovelo.